Bio Menu

Busca

Sobre o blog

Alimentar-se representa muito mais que apenas ingerir carboidratos, lipídios, proteinas, vitaminas e minerais. Significa relação social, afinal as pessoas comemoram, prazer, indulgencia etc. Neste Blog temos por objetivo discutir todas as faces dos nutrientes e como podemos estabelecer uma ingestão alimentar saudável sem abrir mão do prazer. Com isso pretendemos propor a você pequenas mudanças que farão diferenças importantes na sua vida, venha conosco.

Categorias

Histórico

03/05/2012

Você sabe o que são PREBIÓTICOS?

Muito tem sido falado sobre os benefícios dos probióticos, bactérias intestinais que contribuem para a saúde, mas pouco sobre a importância do consumo de PREBIOTICOS.

Prebióticos são definidos como alimentos não digeridos no estômago e intestino delgado, que promovem o crescimento de probióticos no cólon, especialmente as bifidobactérias e os lactobacilos. São classificados como fibras solúveis, sendo a inulina e a oligofrutose seus principais representantes.

Os prebióticos estão naturalmente presentes nas frutas e nos vegetais como escarola, alho, tomate, cebola, aspargo, alcachofra, banana, trigo, cevada e centeio.

O uso de prébióticos tem sido amplamente recomendado, especialmente na prevenção da diarreia aguda e constipação intestinal, bem como para melhoria da imunidade.

Ao escaparem da digestão do intestino delgado e atingirem o cólon, tais fibras solúveis são importante fonte de energia para as bactérias benéficas, que por sua vez aumentam a fermentação local, com formação de ácidos graxos de cadeia curta e ácido lático. A redução do pH colônico desfavorece o crescimento de bactérias patogênicas que habitam o intestino grosso como Clostridium e Pseudomonas e favorece o crescimento de bactérias não patogênicas como Bifidobacterium e Lactobacillus.

Vale lembrar que o efeito dos prebióticos sobre a microbiota intestinal ocorre enquanto o prebiótico é ingerido. Na Europa, o consumo diário dessas fibras atinge até 11g/dia, enquanto que nos Estados Unidos não costuma ultrapassar 4g/dia. Estima-se que uma ingestão saudável oscile entre 5 e 15g/dia.

Nota-se, portanto, que a manutenção de uma microbiota intestinal saudável está intimamente ligada ao consumo de alimentos ricos em prebióticos. A flora intestinal em equilíbrio garante boa imunidade e prevenção de diarreias e constipação intestinal.

Para saber mais:

 Meyer D, Stasse-Wolthuis M. The bifidogenic effect of inulin and oligofructose and its consequences for gut health. Eur J Clin Nutr 2009, 63: 1277-89.

Publicado por Camila Freitas

 

Por Marco D. Leme às 08h22

30/04/2012

Quando lavar e quando higienizar legumes, frutas e verduras?

Semana passada saiu na mídia uma reportagem mostrando que algumas marcas de vegetais que compramos pré-lavados, continham contaminantes que não deveriam nesse produto. Vegetal pré-lavado é aquele que já sofreu processo de lavagem e higienização.

 

Lavagem é o processo que tem por finalidade remover a sujidade através de um processo mecânico, diminuindo assim a população microbiana.

 

Higienização tem a finalidade de eliminar os microorganismos que a lavagem não consegue eliminar.

 

 

Quando compramos vegetais e frutas pré-lavados, deveria significar que eles já estão prontos para consumo. Mas para quem tem costume de comprar eles in natura, quando devemos lavar e/ou higienizar?

 

A princípio, todos os vegetais e frutas que consumimos sem casca, não necessitam nem de lavagem, porém se armazenados em geladeira ou utilizado em algum processo como cozimento etc...o ideal é lavar antes.

 

Todos os vegetais e frutas que serão consumidos com casca ou que não possuem casca e vão passar por algum processo de aquecimento de a pelo menos 65º C por 30 min, apenas precisam ser lavados. Se forem atingir temperaturas próximas a 100º C, fervura, esse tempo é inferior a 1 minuto.

 

Porém, quando formos consumir vegetais e frutas, que não possuem casca ou essa não será retirada, precisamos lavar e após a lavagem fazer a higienização com hipoclorito de sódio a 200ppm, que seria 1 colher de sopa de cloro para cada 1 L de água, deixando-os submersos por 15min. Após tirar dessa solução, lavar em água corrente apenas se tiver certeza que a água é de boa qualidade.

 

 Até a próxima e bom feriado!

 

 

Por Marco D. Leme às 12h14

Ir para UOL Ciência e Saúde

Sobre os autores

Ana Carolina Garcia

Graduação em Nutrição - USP, especialista em Nutrição Aplicada ao Exercício Físico pela Escola de EEFE - USP e especialista em Nutrição Humana Aplicada e Terapia Nutricional pelo IMeN. Nutricionista da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Antonio Herbert Lancha Jr.

Graduação em Educação Física – USP Especialização em Fisiologia do Exercício – UNESP Mestrado e Doutorado em Nutrição Experimental – USP Pós- Doutorado em Medicina Interna – Washington University Professor Titular de Nutrição Aplicada à Atividade Física – USP Coordenador do Grupo de Nutrição do Vita Diretor da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Camila Freitas

Graduação em Nutrição - USP

Pós-Graduação em Gastronomia

Responsável pela área de nutrição das academias Reebok (SP)

Nutricionista da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Carla di Pierro

Graduação em Psicologia - PUC SP

Especialização em Psicologia do Esporte - Instituto Sedes Sapientiae

Especialização em Clínica Analítico Comportamental - Núcleo Paradigma

Aprimoramento em Terapia Comportamental Cognitiva - Amban HCFMUSP

Psicóloga da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Desire F. Coelho

Graduação em Nutrição - Centro Universitário São Camilo

Graduação em Esporte - USP

Mestrado em Educação Física - USP

Doutoranda pelo Instituto de Ciências Biomédicas - USP

Aprimorando em Transtorno Alimentar pelo AMBULIM HC-FMUSP

Nutricionista da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Luciana O. P. Lancha

Graduação em Nutrição e Esporte – USP Mestrado em Bioquímica – UNICAMP Doutorado em Ciências Biomédicas - USP Nutricionista da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Luiz Augusto Riani Costa

Graduação em Medicina – UNICAMP

Pós-graduação em Medicina Esportiva e Fisiologia do Exercício – USP

Doutorando em Fisiopatologia – EEFE/HCFMUSP

Diretor Clínico do setor de Cardiologia dos Laboratórios

Diagnósticos da América (DASA)

Fisiologista do Vita

Médico da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Marco D. Leme

Graduação em Nutrição - Centro Universitário São Camilo

Graduação em Eng. de Alimentos - Instituto Mauá de Tecnologia

Nutricionista do Grupo de DOR - IOT HCFMUSP e da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Patrícia Campos-Ferraz

Graduação em Nutrição – USP

Mestrado em Ciências dos Alimentos – USP

Doutorado em Biologia Funcional e Molecular pela UNICAMP

Nutricionista da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Renata C. Sardinha

Graduação em Nutrição - Centro Universitário São Camilo. Nutricionista do Bio Menu Congelados Saudáveis


Rodrigo Ferraz

Graduação em Educação Física - USP

Especialização em Treinamento Desportivo - UNIFESP/EPM

Especialista em Prevenção de Lesão e Treinamento em Pacientes Oncológicos

Preparador Físico da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida