Bio Menu

Busca

Sobre o blog

Alimentar-se representa muito mais que apenas ingerir carboidratos, lipídios, proteinas, vitaminas e minerais. Significa relação social, afinal as pessoas comemoram, prazer, indulgencia etc. Neste Blog temos por objetivo discutir todas as faces dos nutrientes e como podemos estabelecer uma ingestão alimentar saudável sem abrir mão do prazer. Com isso pretendemos propor a você pequenas mudanças que farão diferenças importantes na sua vida, venha conosco.

Categorias

Histórico

03/11/2011

Anemia em crianças – conseqüências e prevenção

Dados do relatório “A United Call to Action” de 2010, realizado por um comitê integrado pela UNICEF e Organização Mundial da Saúde (OMS), entre outras entidades, apontam que mais da metade das crianças brasileiras em idade pré-escolar tem anemia.

Anemia é um problema de saúde pública mundial e cerca de 90% das anemias são causadas por deficiência de ferro, conhecidas como anemia ferropriva.

A falta de ferro no organismo causa cansaço físico intenso, apatia, sonolência, redução da capacidade de aprendizado e memorização e prejuízo no desenvolvimento motor e cognitivo de crianças. O combate à anemia em crianças, adolescentes e gestantes é a grande preocupação e desafio das mais diversas nações do mundo.

A falta de ferro no organismo se dá principalmente pelo baixo consumo de ferro. Com o diagnóstico da deficiência, o ajuste se faz via suplementação, porém a prevenção é o melhor caminho para a manutençã da saúde.

Alimentos como carnes vermelhas (porco, boi, cordeiro) e brancas (aves, peixes), especialmente o fígado, contém o ferro que é mais bem absorvido pelo corpo, o ferro heme.

Verduras verde escuras como agrião, rúcula e espinafre, entre outras, bem como as leguminosas - grão de bico, lentilha, ervilha, fava, principalmente o feijão - são ricos em ferro não-heme, cuja absorção requer alimentos e nutrientes que auxiliem sua entrada para a célula. A adição de vitamina C, encontrada no limão, laranja, abacaxi, caju, morango, acerola, dentre outros alimentos ácidos, bem como carnes em geral cumprem esse papel.

Atenção especial aos alimentos que dificultam a absorção do ferro não-heme. O consumo de cafeína (café, refrigerantes tipo cola, chá preto, chá mate e chá verde) e cálcio (leite e iogurtes) deve ocorrer longe das refeições que contenham ferro.

Alimentos fortificados com ferro como cereais matinais e leites (observe a rotulagem) também merecem ser introduzidos na alimentação, especialmente dos pré-escolares.

Por Camila Freitas às 23h00

31/10/2011

Beber água fria emagrece?

Talvez. Algumas pessoas me questionam se beber água fria emagrece. Para facilitar o raciocínio, vamos começar pela definição de caloria.

 

Caloria (símbolo: cal) é definida como sendo o calor trocado quando a massa de um grama de água passa de 14,5 °C para 15,5 °C.

Quando usamos caloria para nos referirmos ao valor energético dos alimentos, na verdade queremos dizer a quantidade de energia necessária para elevar a temperatura de 1 quilograma (equivalente a 1 litro) de água de 14,5 °C para 15,5 °C. O correto neste caso seria utilizar kcal (quilocaloria), porém o uso constante em nutrição fez com que se modificasse a medida. Assim, quando se diz que uma pessoa precisa de 2.000 calorias por dia, na verdade são 2.000.000 calorias (2.000 quilocalorias) por dia. Hoje também é comum expressar quilocalorias escrevendo-se a abreviatura de caloria "Cal" com a letra C em maiúsculo. Ex.: 1 Cal =1000 cal = 1 kcal.

Agora fica mais fácil de fazermos a conta e verificarmos se tomar água fria realmente emagrece. Na maioria dos casos, quanto tomamos água fria, ela está em torno de 5º C (temperatura média de geladeiras). Considerando que o copo está quente e até tomarmos, ela absorveu calor, vamos considerar que ingerimos à 6,5ºC.

Então ser tomarmos 2 litros (L) de água à 6,5ºC por dia (2 kg de água), como a tendencia é nosso organismo manter o equilíbrio, essa água será aquecida até aproximadamente 36,5ºC (veja a conta abaixo). Para isso nosso corpo irá gastar 60kcal. Um gasto de 60kcal/dia a mais para uma pessoa que deseja emagrecer, apenas será válido se essa pessoa já esteja fazendo um trabalho de reeducação alimentar e/ou pratica de atividades físicas regularmente.

 (6,5ºC - 36,5ºC) x 2L = - 60kcal

Abraços

Por Marco D. Leme às 13h26

Ir para UOL Ciência e Saúde

Sobre os autores

Ana Carolina Garcia

Graduação em Nutrição - USP, especialista em Nutrição Aplicada ao Exercício Físico pela Escola de EEFE - USP e especialista em Nutrição Humana Aplicada e Terapia Nutricional pelo IMeN. Nutricionista da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Antonio Herbert Lancha Jr.

Graduação em Educação Física – USP Especialização em Fisiologia do Exercício – UNESP Mestrado e Doutorado em Nutrição Experimental – USP Pós- Doutorado em Medicina Interna – Washington University Professor Titular de Nutrição Aplicada à Atividade Física – USP Coordenador do Grupo de Nutrição do Vita Diretor da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Camila Freitas

Graduação em Nutrição - USP

Pós-Graduação em Gastronomia

Responsável pela área de nutrição das academias Reebok (SP)

Nutricionista da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Carla di Pierro

Graduação em Psicologia - PUC SP

Especialização em Psicologia do Esporte - Instituto Sedes Sapientiae

Especialização em Clínica Analítico Comportamental - Núcleo Paradigma

Aprimoramento em Terapia Comportamental Cognitiva - Amban HCFMUSP

Psicóloga da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Desire F. Coelho

Graduação em Nutrição - Centro Universitário São Camilo

Graduação em Esporte - USP

Mestrado em Educação Física - USP

Doutoranda pelo Instituto de Ciências Biomédicas - USP

Aprimorando em Transtorno Alimentar pelo AMBULIM HC-FMUSP

Nutricionista da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Luciana O. P. Lancha

Graduação em Nutrição e Esporte – USP Mestrado em Bioquímica – UNICAMP Doutorado em Ciências Biomédicas - USP Nutricionista da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Luiz Augusto Riani Costa

Graduação em Medicina – UNICAMP

Pós-graduação em Medicina Esportiva e Fisiologia do Exercício – USP

Doutorando em Fisiopatologia – EEFE/HCFMUSP

Diretor Clínico do setor de Cardiologia dos Laboratórios

Diagnósticos da América (DASA)

Fisiologista do Vita

Médico da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Marco D. Leme

Graduação em Nutrição - Centro Universitário São Camilo

Graduação em Eng. de Alimentos - Instituto Mauá de Tecnologia

Nutricionista do Grupo de DOR - IOT HCFMUSP e da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Patrícia Campos-Ferraz

Graduação em Nutrição – USP

Mestrado em Ciências dos Alimentos – USP

Doutorado em Biologia Funcional e Molecular pela UNICAMP

Nutricionista da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Renata C. Sardinha

Graduação em Nutrição - Centro Universitário São Camilo. Nutricionista do Bio Menu Congelados Saudáveis


Rodrigo Ferraz

Graduação em Educação Física - USP

Especialização em Treinamento Desportivo - UNIFESP/EPM

Especialista em Prevenção de Lesão e Treinamento em Pacientes Oncológicos

Preparador Físico da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida