Bio Menu

Busca

Sobre o blog

Alimentar-se representa muito mais que apenas ingerir carboidratos, lipídios, proteinas, vitaminas e minerais. Significa relação social, afinal as pessoas comemoram, prazer, indulgencia etc. Neste Blog temos por objetivo discutir todas as faces dos nutrientes e como podemos estabelecer uma ingestão alimentar saudável sem abrir mão do prazer. Com isso pretendemos propor a você pequenas mudanças que farão diferenças importantes na sua vida, venha conosco.

Categorias

Histórico

11/10/2011

A vitamina C seu lado bom e seu lado ruim

Você se lembra daquela propaganda onde o sujeito espirrava e logo em seguida alguém falava: vitamina C e cama. Pois é, de lá para cá o consumo de vitamina C se multiplicou em todo o país. O medo de contrair gripe faz com que homens e mulheres consumam doses “industriais” de vitamina C. Além disso, o medo do envelhecimento e a suposta proteção da vitamina C estimulam seu consumo.

Com o aumento da poluição, muitos se preocupam com o aparecimento dos primeiros sintomas da gripe. O ar seco e o excesso de poluentes favorecem os aparecimentos dos distúrbios respiratórios que podem culminar com a gripe. Com este receio diversas pessoas passam a fazer o consumo exagerado de suplementos contendo a vitamina C. A deficiência no consumo de vitamina C produz uma doença chamada de escorbuto.

O fato é que a dose diária recomendada desta vitamina é de 60 mg e possui efeitos nutricionais bem conhecidos. Doses elevadas de Vitamina C podem ser indicadas como auxiliar na recuperação pós-cirúrgica e na prevenção de infecções do trato respiratório superior. Entretanto, essas doses devem ser consumidas com muita cautela.

A ingestão crônica de doses elevadas de vitamina C resulta em sobrecarga renal. A vitamina C é filtrada pelos rins tendo como subproduto o oxalato de cálcio que é responsável por um tipo de cálculo renal. Assim, doses maciças de vitamina C devem ser cuidadosamente consumidas, seguindo rígido controle de profissional de saúde.

O consumo mais seguro de vitamina C é então a ingestão de alimentos fonte deste nutriente. Destacam-se a acerola, a laranja e limão. Ao ingerir através dos alimentos teremos menor possibilidade de alcançar concentrações elevadas de vitamina C no organismo que possam produzir de alguma forma prejuízo a saúde.

Por Luciana O. P. Lancha às 16h06

Ir para UOL Ciência e Saúde

Sobre os autores

Ana Carolina Garcia

Graduação em Nutrição - USP, especialista em Nutrição Aplicada ao Exercício Físico pela Escola de EEFE - USP e especialista em Nutrição Humana Aplicada e Terapia Nutricional pelo IMeN. Nutricionista da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Antonio Herbert Lancha Jr.

Graduação em Educação Física – USP Especialização em Fisiologia do Exercício – UNESP Mestrado e Doutorado em Nutrição Experimental – USP Pós- Doutorado em Medicina Interna – Washington University Professor Titular de Nutrição Aplicada à Atividade Física – USP Coordenador do Grupo de Nutrição do Vita Diretor da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Camila Freitas

Graduação em Nutrição - USP

Pós-Graduação em Gastronomia

Responsável pela área de nutrição das academias Reebok (SP)

Nutricionista da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Carla di Pierro

Graduação em Psicologia - PUC SP

Especialização em Psicologia do Esporte - Instituto Sedes Sapientiae

Especialização em Clínica Analítico Comportamental - Núcleo Paradigma

Aprimoramento em Terapia Comportamental Cognitiva - Amban HCFMUSP

Psicóloga da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Desire F. Coelho

Graduação em Nutrição - Centro Universitário São Camilo

Graduação em Esporte - USP

Mestrado em Educação Física - USP

Doutoranda pelo Instituto de Ciências Biomédicas - USP

Aprimorando em Transtorno Alimentar pelo AMBULIM HC-FMUSP

Nutricionista da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Luciana O. P. Lancha

Graduação em Nutrição e Esporte – USP Mestrado em Bioquímica – UNICAMP Doutorado em Ciências Biomédicas - USP Nutricionista da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Luiz Augusto Riani Costa

Graduação em Medicina – UNICAMP

Pós-graduação em Medicina Esportiva e Fisiologia do Exercício – USP

Doutorando em Fisiopatologia – EEFE/HCFMUSP

Diretor Clínico do setor de Cardiologia dos Laboratórios

Diagnósticos da América (DASA)

Fisiologista do Vita

Médico da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Marco D. Leme

Graduação em Nutrição - Centro Universitário São Camilo

Graduação em Eng. de Alimentos - Instituto Mauá de Tecnologia

Nutricionista do Grupo de DOR - IOT HCFMUSP e da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Patrícia Campos-Ferraz

Graduação em Nutrição – USP

Mestrado em Ciências dos Alimentos – USP

Doutorado em Biologia Funcional e Molecular pela UNICAMP

Nutricionista da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Renata C. Sardinha

Graduação em Nutrição - Centro Universitário São Camilo. Nutricionista do Bio Menu Congelados Saudáveis


Rodrigo Ferraz

Graduação em Educação Física - USP

Especialização em Treinamento Desportivo - UNIFESP/EPM

Especialista em Prevenção de Lesão e Treinamento em Pacientes Oncológicos

Preparador Físico da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida