Bio Menu

Busca

Sobre o blog

Alimentar-se representa muito mais que apenas ingerir carboidratos, lipídios, proteinas, vitaminas e minerais. Significa relação social, afinal as pessoas comemoram, prazer, indulgencia etc. Neste Blog temos por objetivo discutir todas as faces dos nutrientes e como podemos estabelecer uma ingestão alimentar saudável sem abrir mão do prazer. Com isso pretendemos propor a você pequenas mudanças que farão diferenças importantes na sua vida, venha conosco.

Categorias

Histórico

30/06/2011

Estamos comendo Plástico?

Depois do “barulho” causado pela Gordura Trans, agora o vilão é o Bisfenol A (BPA). Ele não é um nutriente, porém estudos indicam que muitos alimentos embalados ou que na sua cadeia produtiva tiveram contato com alguns tipos de plásticos, podem conter o BPA.

Apesar de diversos estudos em animais apontarem o BPA como um perigoso contaminante, é preciso ter cautela ao analisarmos os mesmos, pois nem sempre os efeitos observados em animais são reproduzidos em humanos.

Na China, existe uma lei que proíbe a produção de embalagens para alimentos infantis que contenham plástico com BPA. A importação e venda de mamadeiras que contém essa substância está proibida na União Européia. Malásia, Costa Rica, Canadá e alguns estados norte-americanos já baniram sua utilização. No Brasil, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária ainda não concluiu sua posição. É possível perceber que os países estão cada vez mais preocupados com a saúde de seus habitantes, porém ainda não existem estudos conclusivos sobre o BPA em humanos.

 

 

Logicamente essa substância provoca danos à saúde, mas temos inúmeras outras substâncias que também acarretam males semelhantes aos apontados nos estudos com BPA e não são proibidas, apresentando o consumo limitado (alguns edulcorantes, conservantes, corantes e vários outros “antes”, que encontramos nos rótulos de certos alimentos).

Então, comemos plástico? Comemos! Mas não só o Bisfenol A...a química que ingerimos é grande e infelizmente é um mal necessário para as pessoas que desejam praticidade ao ingerirem alguns alimentos industrializados. Solução não existe, pois estamos vivendo o problema dos orgânicos na Europa (broto de feijão), já tivemos com espinafre congelado nos Estados Unidos, fora os casos não relatados.

Os alimentos congelados são uma boa opção, pois na maioria das vezes não possuem química em seus ingredientes. Quando o processo de congelamento é eficiente, a perda de nutrientes é mínima, sendo importante saber a procedência da embalagem, que no caso do Bio Menu, entre outras empresas, são atóxicas, comprovadas por laudos técnicos.

 

Critical evaluation of key evidence on the human health hazards of exposure to bisphenol A.

Hengstler JG, Foth H, Gebel T, Kramer PJ, Lilienblum W, Schweinfurth H, Völkel W, Wollin KM, Gundert-Remy U.

Crit Rev Toxicol. 2011 Apr;41(4):263-91. Review.

 

Abs,

Por Marco D. Leme às 14h23

28/06/2011

Sendentarismo = Doença?

O intuito deste post não é escrever simplesmente sobre as inúmeras maravilhas da prática regular do exercício, mas sim alertar sobre uma questão que está sendo cada vez mais discutida: sedentarismo é doença.

 

Até pouco tempo a gente costumava pensar que a pessoa ao escolher não fazer nenhuma atividade física ela estava apenas se privando dos diversos benefícios desse hábito como controle da pressão arterial, manutenção do peso corporal, facilitador do emagrecimento, melhor controle da glicemia e do metabolismo do colesterol, prevenção de várias doenças como diabetes, osteoporose, doenças cardíacas, câncer, entre outras.

 

Mas a questão não é tão simples, ao ficar sedentária a pessoa está ocasionando em seu organismo uma condição não fisiológica que gera diversas alterações inflamatórias, hormonais e psicológicas que podem desencadear/acelerar o início de diversas doenças. 

 

Se pensarmos na evolução do ser humano é fácil compreendermos como não é da nossa natureza ficarmos o dia inteiro sentado na frente do computador, TV, videogame. Claro que não precisamos mais sair caçando alimentos ou fugindo de predadores, mas nossa natureza é de movimento e precisamos dele!

 

Não precisa necessariamente se inscrever na academia mais próxima, mas pequenas atitudes já fazem grande diferença. Se for possível vá para o trabalho a pé/bicicleta, suba escadas ao invés do elevador, enquanto falar ao celular fique andando, desça antes no ponto de ônibus, vá a padaria a pé. A principal orientação é realizar 150min de exercício aeróbio (caminhada, bicicleta, patins, corrida..) por semana.

 

Por isso, se você ou alguém próximo está sedentário faça essa reflexão..

 

 

Até a próxima!

Por Desire F. Coelho às 10h03

Ir para UOL Ciência e Saúde

Sobre os autores

Ana Carolina Garcia

Graduação em Nutrição - USP, especialista em Nutrição Aplicada ao Exercício Físico pela Escola de EEFE - USP e especialista em Nutrição Humana Aplicada e Terapia Nutricional pelo IMeN. Nutricionista da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Antonio Herbert Lancha Jr.

Graduação em Educação Física – USP Especialização em Fisiologia do Exercício – UNESP Mestrado e Doutorado em Nutrição Experimental – USP Pós- Doutorado em Medicina Interna – Washington University Professor Titular de Nutrição Aplicada à Atividade Física – USP Coordenador do Grupo de Nutrição do Vita Diretor da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Camila Freitas

Graduação em Nutrição - USP

Pós-Graduação em Gastronomia

Responsável pela área de nutrição das academias Reebok (SP)

Nutricionista da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Carla di Pierro

Graduação em Psicologia - PUC SP

Especialização em Psicologia do Esporte - Instituto Sedes Sapientiae

Especialização em Clínica Analítico Comportamental - Núcleo Paradigma

Aprimoramento em Terapia Comportamental Cognitiva - Amban HCFMUSP

Psicóloga da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Desire F. Coelho

Graduação em Nutrição - Centro Universitário São Camilo

Graduação em Esporte - USP

Mestrado em Educação Física - USP

Doutoranda pelo Instituto de Ciências Biomédicas - USP

Aprimorando em Transtorno Alimentar pelo AMBULIM HC-FMUSP

Nutricionista da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Luciana O. P. Lancha

Graduação em Nutrição e Esporte – USP Mestrado em Bioquímica – UNICAMP Doutorado em Ciências Biomédicas - USP Nutricionista da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Luiz Augusto Riani Costa

Graduação em Medicina – UNICAMP

Pós-graduação em Medicina Esportiva e Fisiologia do Exercício – USP

Doutorando em Fisiopatologia – EEFE/HCFMUSP

Diretor Clínico do setor de Cardiologia dos Laboratórios

Diagnósticos da América (DASA)

Fisiologista do Vita

Médico da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Marco D. Leme

Graduação em Nutrição - Centro Universitário São Camilo

Graduação em Eng. de Alimentos - Instituto Mauá de Tecnologia

Nutricionista do Grupo de DOR - IOT HCFMUSP e da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Patrícia Campos-Ferraz

Graduação em Nutrição – USP

Mestrado em Ciências dos Alimentos – USP

Doutorado em Biologia Funcional e Molecular pela UNICAMP

Nutricionista da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Renata C. Sardinha

Graduação em Nutrição - Centro Universitário São Camilo. Nutricionista do Bio Menu Congelados Saudáveis


Rodrigo Ferraz

Graduação em Educação Física - USP

Especialização em Treinamento Desportivo - UNIFESP/EPM

Especialista em Prevenção de Lesão e Treinamento em Pacientes Oncológicos

Preparador Físico da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida