Bio Menu

Busca

Sobre o blog

Alimentar-se representa muito mais que apenas ingerir carboidratos, lipídios, proteinas, vitaminas e minerais. Significa relação social, afinal as pessoas comemoram, prazer, indulgencia etc. Neste Blog temos por objetivo discutir todas as faces dos nutrientes e como podemos estabelecer uma ingestão alimentar saudável sem abrir mão do prazer. Com isso pretendemos propor a você pequenas mudanças que farão diferenças importantes na sua vida, venha conosco.

Categorias

Histórico

21/04/2011

Jogar vídeo game ajuda a emagrecer

Os jogos eletrônicos podem ser ótimos aliados para gastar calorias e melhorar o condicionamento físico.

Esta é uma frase que todo adolescente gostaria de escutar e seus pais também. Pensando nisso, cientistas do Departamento de Cinésiologia e Saúde da Universidade de Luisiania nos Estados Unidos pesquisaram o efeito metabólico no organismo de adultos jovens que participaram de duas sessões de jogos em vídeo game. Esta pesquisa foi publicada no The Journal of Strength and Conditioning Research em Março deste ano.

As sessões de jogos foram realizadas no Wii Fit da Nintendo com os jogos Aerobic e Hula Games. Os resultados mostraram que houve uma demanda energética nas sessões equivalente ao de uma atividade física de alta intensidade (ex. corrida) nos níveis intermediários dos respectivos jogos. Nos níveis avançados os parâmetros metabólicos foram mais altos ainda.

De acordo com os resultados obtidos neste experimento, podemos concluir que o uso deste tipo de plataforma eletrônica pode contribuir com o gasto calórico promovendo emagrecimento e melhora no condicionamento físico.

Importante salientar que estas alterações metabólicas foram geradas por estímulos de determinados jogos de um modelo específico de vídeo game. Não podemos generalizar os resultados. Também cabe salientar que a prática de atividade física não tem apenas a intenção de promover a queima de gordura. Fatores sócios- culturais devem ser levados em consideração. Estimular as crianças a substituir uma aula de futebol com os amigos, por exemplo, para ficar em frente ao jogo eletrônico pode gerar adultos com problemas de socialização (mas isso é um assunto que nossa psicóloga Dr. Carla pode falar melhor).

Portanto, aprecie e estimule com moderação.

 

Para saber mais:

Metabolic responses to Wii Fit™ video games at different game levels. Worley JR, Rogers SN, Kraemer RR.Department of Kinesiology and Health Studies, Southeastern Louisiana University, Hammond, Louisiana, USA. J Strength Cond Res. 2011 Mar;25(3):689-93.

Por Rodrigo Ferraz às 23h05

19/04/2011

Alimentação infantil - dicas

Dando continuidade ao tema já debatido sobre obesidade/nutrição infantil (http://biomenu.zip.net/arch2011-02-27_2011-03-05.html), seguem algumas dicas práticas sobre como melhorar a alimentação dos seus filhos:

·       Torne a refeição um momento divertido: Envolva seus filhos no preparo das refeições para que tenham mais interesse e prazer em comer alimentos nutritivos. Peça que ajudem a lavar um legume ou a montar a salada, por exemplo!

·       Insista na oferta de um novo alimento: ao ofecer algo novo, não aceite o “não gosto” logo na primeira tentativa, pois o paladar leva tempo para se adaptar a um novo sabor. Apresente o novo alimento ao menos 10 vezes, nas mais diversas formas de preparo e em diferentes momentos para somente então aceitar uma definição do paladar.

 ·       Alimentação e afeto: cuidado para não premiar seu filho com doces e chocolates. Ele poderá se tornar um adolescente/ adulto que busca no alimento a recompensa para suas frustrações.

·       Faça verduras e legumes na refeição em que a família está reunida: assim você garante o consumo de fibras, vitaminas e minerais pelo menos em uma das refeições e seus filhos aprenderão a comer hortaliças com o passar do tempo!

·       Lancheira dos filhos: se seu filho gosta de refrigerantes, salgadinhos e bolachas recheadas limite os dias em que esses lanches pouco saudáveis serão preparados. Na maioria das vezes, prepare sucos, frutas, biscoitos sem recheio, pão tipo bisnaguinha com pouca margarina ou queijo!

 

Lembre-se: o hábito alimentar é formado em casa e a alimentação dos filhos é reflexo do que os pais costumam comer!

 

Por Camila Freitas às 00h12

Ir para UOL Ciência e Saúde

Sobre os autores

Ana Carolina Garcia

Graduação em Nutrição - USP, especialista em Nutrição Aplicada ao Exercício Físico pela Escola de EEFE - USP e especialista em Nutrição Humana Aplicada e Terapia Nutricional pelo IMeN. Nutricionista da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Antonio Herbert Lancha Jr.

Graduação em Educação Física – USP Especialização em Fisiologia do Exercício – UNESP Mestrado e Doutorado em Nutrição Experimental – USP Pós- Doutorado em Medicina Interna – Washington University Professor Titular de Nutrição Aplicada à Atividade Física – USP Coordenador do Grupo de Nutrição do Vita Diretor da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Camila Freitas

Graduação em Nutrição - USP

Pós-Graduação em Gastronomia

Responsável pela área de nutrição das academias Reebok (SP)

Nutricionista da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Carla di Pierro

Graduação em Psicologia - PUC SP

Especialização em Psicologia do Esporte - Instituto Sedes Sapientiae

Especialização em Clínica Analítico Comportamental - Núcleo Paradigma

Aprimoramento em Terapia Comportamental Cognitiva - Amban HCFMUSP

Psicóloga da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Desire F. Coelho

Graduação em Nutrição - Centro Universitário São Camilo

Graduação em Esporte - USP

Mestrado em Educação Física - USP

Doutoranda pelo Instituto de Ciências Biomédicas - USP

Aprimorando em Transtorno Alimentar pelo AMBULIM HC-FMUSP

Nutricionista da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Luciana O. P. Lancha

Graduação em Nutrição e Esporte – USP Mestrado em Bioquímica – UNICAMP Doutorado em Ciências Biomédicas - USP Nutricionista da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Luiz Augusto Riani Costa

Graduação em Medicina – UNICAMP

Pós-graduação em Medicina Esportiva e Fisiologia do Exercício – USP

Doutorando em Fisiopatologia – EEFE/HCFMUSP

Diretor Clínico do setor de Cardiologia dos Laboratórios

Diagnósticos da América (DASA)

Fisiologista do Vita

Médico da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Marco D. Leme

Graduação em Nutrição - Centro Universitário São Camilo

Graduação em Eng. de Alimentos - Instituto Mauá de Tecnologia

Nutricionista do Grupo de DOR - IOT HCFMUSP e da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Patrícia Campos-Ferraz

Graduação em Nutrição – USP

Mestrado em Ciências dos Alimentos – USP

Doutorado em Biologia Funcional e Molecular pela UNICAMP

Nutricionista da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Renata C. Sardinha

Graduação em Nutrição - Centro Universitário São Camilo. Nutricionista do Bio Menu Congelados Saudáveis


Rodrigo Ferraz

Graduação em Educação Física - USP

Especialização em Treinamento Desportivo - UNIFESP/EPM

Especialista em Prevenção de Lesão e Treinamento em Pacientes Oncológicos

Preparador Físico da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida