Bio Menu

Busca

Sobre o blog

Alimentar-se representa muito mais que apenas ingerir carboidratos, lipídios, proteinas, vitaminas e minerais. Significa relação social, afinal as pessoas comemoram, prazer, indulgencia etc. Neste Blog temos por objetivo discutir todas as faces dos nutrientes e como podemos estabelecer uma ingestão alimentar saudável sem abrir mão do prazer. Com isso pretendemos propor a você pequenas mudanças que farão diferenças importantes na sua vida, venha conosco.

Categorias

Histórico

17/03/2011

Ainda sobre Dietas Baixas em Carboidratos!

Recentes pesquisas têm divulgado os supostos benefícios sobre dietas hipocalóricas com muito baixo teor de carboidratos (VLCD, em inglês), comparados a uma dieta hipocalórica com maior teor de carbo e menor teor de gordura.

A alegação para essas dietas é que elas melhorar o controle do açúcar no sangue para pacientes com síndrome metabólica e  diabetes tipo 2 em pacientes sedentários

A grande questão com essas dietas de pouco carbo sempre foi a perda de massa magra, e curiosamente, um trabalho publicado na Austrália em 2005 com 67 pacientes obesos seguindo essa dieta por 12 semanas não encontrou esse resultado.

Antes que se saia por aí apregoando os “benefícios” de uma dieta como essa, é bom mostrar alguns pontos importantes:

Primeiro: a dieta habitual australiana é bem diferente da nossa. Lá eles comem muito mais proteína e gordura habitualmente, então provavelmente a restrição de carboidratos a que esses pacientes foram submetidos não foi tão grande

Segundo: apesar desse trabalho mostrar que a perda de massa muscular e gordura entre os grupos pobres em carboidratos x controle não foi significativa, houve um aumento indesejável de colesterol ruim (LDL) nos pacientes que seguiram a dieta VLCD.

Terceiro: a dieta habitual brasileira também é rica em proteínas, mais em proteína vegetal (feijão) quando comparado aos países do Hemisfério Norte e também temos um consumo de grãos que, apesar de estar diminuindo com o tempo, ainda é maior aqui.

 

Resumindo: dieta pobre em carboidratos ocasiona perda de peso mais rápida  e  controle glicêmico mais rápido para esses pacientes, porém às custas de perda de desempenho físico, irritabilidade, falta de concentração e conseqüente sobrecarda do fígado. Muito melhor fazer uma dieta mais equilibrada e incluir juntamente com a reeducação alimentar um programa regular e orientado de atividade física. O peso pode não diminuir tão rápido, pois afinal, haverá ganho de músculo, mas o resultado no longo prazo certamente será melhor.

 

Patrícia Campos-Ferraz

Nutricionista

 

 

Bibliografia:


Effect of an energy-restricted, high-protein, low-fat diet relative to a conventional high-carbohydrate, low-fat diet on weight loss, body composition, nutritional status, and markers of cardiovascular health in obese women
Manny Noakes, Jennifer B Keogh, Paul R Foster, and Peter M Clifton
Am J Clin Nutr, Jun 2005; 81: 1298 - 1306.

 

Low- and high-carbohydrate weight-loss diets have similar effects on mood but not cognitive performance
Angela K Halyburton, Grant D Brinkworth, Carlene J Wilson, Manny Noakes, Jonathan D Buckley, Jennifer B Keogh, and Peter M Clifton
Am J Clin Nutr, Sep 2007; 86: 580 - 587.

 

Low Carbohydrate, High Fat Diet Increases C-Reactive Protein during Weight Loss
Janet W. Rankin and Abigail D. Turpyn
J. Am.
Coll. Nutr., Apr 2007; 26: 163 - 169.

Por Patrícia L. C. Ferraz às 17h17

14/03/2011

A melhor estratégia para emagrecer treinando

Em estudo recém publicado, pesquisadores estabeleceram novos padrões para promover perda e manutenção de peso com a atividade física.

Ao começarmos um programa de treinamento com foco no emagrecimento, sempre nos perguntamos quantas vezes por semana, por quanto tempo e o que devemos treinar. Com base nestas questões, o Colégio Americano de Medicina Esportiva (ACSM), a partir de uma análise de diversos trabalhos científicos, procurou respondê-las.

A atividade aeróbica (corrida, caminhada, natação, ciclismo etc.) com intensidade moderada é a que promove maior gasto calórico comparado com exercícios de R.M.L. (resistência muscular localizada), logo uma maior perda de peso. Recomenda-se então, para promover manutenção do peso e diminuição do fator de risco de doenças crônicas, o mínimo de 150 minutos de atividade aeróbica por semana (aproximadamente 30 min. por dia, cinco vezes da semana). Já para a perda de peso e diminuição da chance de recuperação de massa gorda, faz-se necessário 300 minutos por semana (aproximadamente uma hora por dia, cinco vezes por semana) de atividades.

Os exercícios de R. M. L. (musculação) não se mostraram efetivos para a perda de peso, porém estão associados a inúmeras adaptações positivas, incluindo a diminuição de fatores de risco de doenças crônicas. A união entre atividade física e dieta é a mais eficaz em todos os casos.

Portanto, aquela caminhada leve no parque que muitas pessoas fazem duas vezes por semana, infelizmente, não serve ao menos para a manutenção do peso. Pense no que você está fazendo de atividade física, reveja suas metas e comece ainda hoje com uma nova estratégia de treinamento!

Para saber mais: Appropriate Physical Activity Intervention Strategies for Weight Loss and Prevention of Weight Regain for Adults - DONNELLY, JOSEPH E. Ed.D (Chair); BLAIR, STEVEN N. PED; JAKICIC, JOHN M. Ph.D.; MANORE, MELINDA M. Ph.D., R.D.; RANKIN, JANET W. Ph.D.; SMITH, BRYAN K. Ph.D. Medicine & Science in Sports & Exercise: Volume 41 - Issue 2 - pp 459-471

Por Rodrigo Ferraz às 19h01

Ir para UOL Ciência e Saúde

Sobre os autores

Ana Carolina Garcia

Graduação em Nutrição - USP, especialista em Nutrição Aplicada ao Exercício Físico pela Escola de EEFE - USP e especialista em Nutrição Humana Aplicada e Terapia Nutricional pelo IMeN. Nutricionista da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Antonio Herbert Lancha Jr.

Graduação em Educação Física – USP Especialização em Fisiologia do Exercício – UNESP Mestrado e Doutorado em Nutrição Experimental – USP Pós- Doutorado em Medicina Interna – Washington University Professor Titular de Nutrição Aplicada à Atividade Física – USP Coordenador do Grupo de Nutrição do Vita Diretor da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Camila Freitas

Graduação em Nutrição - USP

Pós-Graduação em Gastronomia

Responsável pela área de nutrição das academias Reebok (SP)

Nutricionista da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Carla di Pierro

Graduação em Psicologia - PUC SP

Especialização em Psicologia do Esporte - Instituto Sedes Sapientiae

Especialização em Clínica Analítico Comportamental - Núcleo Paradigma

Aprimoramento em Terapia Comportamental Cognitiva - Amban HCFMUSP

Psicóloga da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Desire F. Coelho

Graduação em Nutrição - Centro Universitário São Camilo

Graduação em Esporte - USP

Mestrado em Educação Física - USP

Doutoranda pelo Instituto de Ciências Biomédicas - USP

Aprimorando em Transtorno Alimentar pelo AMBULIM HC-FMUSP

Nutricionista da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Luciana O. P. Lancha

Graduação em Nutrição e Esporte – USP Mestrado em Bioquímica – UNICAMP Doutorado em Ciências Biomédicas - USP Nutricionista da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Luiz Augusto Riani Costa

Graduação em Medicina – UNICAMP

Pós-graduação em Medicina Esportiva e Fisiologia do Exercício – USP

Doutorando em Fisiopatologia – EEFE/HCFMUSP

Diretor Clínico do setor de Cardiologia dos Laboratórios

Diagnósticos da América (DASA)

Fisiologista do Vita

Médico da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Marco D. Leme

Graduação em Nutrição - Centro Universitário São Camilo

Graduação em Eng. de Alimentos - Instituto Mauá de Tecnologia

Nutricionista do Grupo de DOR - IOT HCFMUSP e da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Patrícia Campos-Ferraz

Graduação em Nutrição – USP

Mestrado em Ciências dos Alimentos – USP

Doutorado em Biologia Funcional e Molecular pela UNICAMP

Nutricionista da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Renata C. Sardinha

Graduação em Nutrição - Centro Universitário São Camilo. Nutricionista do Bio Menu Congelados Saudáveis


Rodrigo Ferraz

Graduação em Educação Física - USP

Especialização em Treinamento Desportivo - UNIFESP/EPM

Especialista em Prevenção de Lesão e Treinamento em Pacientes Oncológicos

Preparador Físico da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida