Bio Menu

Busca

Sobre o blog

Alimentar-se representa muito mais que apenas ingerir carboidratos, lipídios, proteinas, vitaminas e minerais. Significa relação social, afinal as pessoas comemoram, prazer, indulgencia etc. Neste Blog temos por objetivo discutir todas as faces dos nutrientes e como podemos estabelecer uma ingestão alimentar saudável sem abrir mão do prazer. Com isso pretendemos propor a você pequenas mudanças que farão diferenças importantes na sua vida, venha conosco.

Categorias

Histórico

20/08/2010

Dicas culinárias para o final de semana

 

As vésperas do final de semana, a dica é culinária!

 Em meus atendimentos clínicos, noto que muitos perdem os excelentes resultados conquistados ao longo da semana após um final de semana extremamente permissivo.

Entendo que ao quebrar a rotina diária, há também a vontade de comer alimentos diferentes, que saiam do trivial. Porem sempre questiono meus pacientes sobre a necessidade de vincular a “quebra da rotina” com “alimentos gordurosos e calóricos”.

O segredo daqueles que conseguem manter a saúde sem o conhecido “efeito sanfona” é saber escolher preparações saborosas e nutritivas mantendo o prazer em comer sem abrir mão do bem estar. 

Risotos, por exemplo, são tradicionalmente calóricos e ricos em gorduras, principalmente as saturadas, prejudiciais à saúde, devido à grande quantidade de manteiga e queijo parmesão presentes na receita. O uso de ingredientes adequados e técnicas culinárias corretas permitem que esse saboroso prato mantenha seu incomparável sabor, sem perder o cuidado com a saúde.

As principais mudanças feitas no risoto tradicional para que fique mais leve e saudável são:  

Arroz: utilize sempre o arbóreo. Há outros tipos de arroz para risoto, mas o arbóreo é o que contem maior teor de amilopectina, um amido que se solta durante o cozimento e agitação dos grãos, conferindo maior cremosidade do que os demais tipos. 

Manteiga: substitua pelo azeite de oliva, óleo rico em gordura monoinsaturada com bastante aroma que agrega sabor e qualidade à preparação. Embora seja uma gordura saudável, a quantidade utilizada deve ser suficiente para refogar a cebola, o arroz e outros ingredientes.  

Queijo parmesão: troque pela ricota defumada e ricota fresca, queijo mussarela light ou requeijão light queijos com menor teor de gordura que contribuem com o aumento do sabor e parte da cremosidade.

Dica: A ricota defumada pronta tem um aroma muito marcante, podendo “roubar” o sabor de todos os outros ingredientes. Quando utilizá-la, mescle com ricota fresca. 

O grande segredo do risoto balanceado é explorar a cremosidade do arroz durante seu cozimento. Assim, a escolha de um produto de qualidade e a constante agitação dos grãos, mexendo o tempo todo, é fundamental para a produção de um risoto saboroso e nutritivo.  

Bom apetite!

 Risoto de Abobrinha

Ingredientes:

-            4 abobrinhas pequenas fatiadas

-            ½ cebola picada (35g)

-            4 colheres de sopa de azeite de oliva (30ml)

-            4 xícaras de chá de arroz para risoto  (380g)

-            ¾ xícara de chá de vinho branco seco (100ml)

-            4 colheres de sobremesa de  queijo mussarela

light ralado (80g)

-            caldo de legumes em quantidade suficiente

-            alho picado a gosto

-            salsinha picada a gosto

-            sal a gosto

-            pimenta do reino branca a gosto 

Modo de Preparo:

1.      Em uma panela, colocar o azeite e fritar a cebola, o alho e a abobrinha em rodelas até ficar dourada. Acrescentar o arroz e refogar. Adicionar o vinho e deixar evaporar.

2.      Acrescentar o caldo de legumes pouco a pouco, sempre mexendo, até que o arroz esteja al dente e cremoso. Ajustar o sal.

3.      Fora do fogo, acrescentar o queijo mussarela light, a pimenta do reino e a salsinha.

4.      Servir.

 

Tempo de preparo: 40 min

 

Rendimento: 6 porções

 

Valor Nutricional por porção:

Caloria: 303 kcal

Carboidrato: 67% (51g)

Proteína: 11% (9g)

Gordura: 22% (7g)

 

 

Por Camila Freitas às 18h19

16/08/2010

Creatina como remédio?

A partir de 1992, começaram surgir relatos dos efeitos benéficos da suplementação de creatina no desempenho de atletas. Sendo o efeito positivo em atividades de curtíssima duração com alta necessidade energética (corrida de 100m rasos), começou ocorrer o uso indiscriminado dessa substância.

Sem estudos sérios que comprovassem seus efeitos colaterais, a creatina foi proibida no Brasil por muitos anos e apenas foi liberada em 2010.

Felizmente durante todos esses anos vários pesquisadores realizaram estudos comprovando sua eficácia e segurança. Muitos deles foram além e demonstraram benefícios não só no esporte, mas seu efeito terapêutico em determinadas patologias. Aqui no Brasil o Laboratório de Nutrição e Metabolismo Aplicados à Atividade Motora da Escola de Educação Física e Esportes da USP há mais de 10 anos vem estudando a creatina e, os resultados encontrados são animadores. Algumas patologias que os estudos apresentaram benefícios com a correta suplementação dessa amina são:

- Algumas doenças musculares (ex: Duchenne, miopatias inflamatórias)

- Doenças do sistema nervoso central (ex: Parkinson, Huntington, Alzheimer)

- Distúrbios ósseos e metabólicos (ex: Osteoporose, Diabetes tipo 2)

Sempre que ocorrer a necessidade de suplementação, é necessária avaliação nutricional. Em alguns casos a avaliação médica e do profissional da educação física que acompanha suas atividades também são desejáveis. Dependendo dos seus objetivos, a creatina pode não ser indicada, pois como acarreta retenção de líquidos, certamente ocorrendo aumento de peso, podendo diminuir desempenho.

Abs,

 

Marco Leme.

Leitura recomendada:

Exploring the therapeutic role of creatine supplementation.

Gualano B, Artioli GG, Poortmans JR, Lancha Junior AH.

Amino Acids. 2010 Jan;38(1):31-44. Epub 2009 Mar 1. Review

Por Marco D. Leme às 18h38

Ir para UOL Ciência e Saúde

Sobre os autores

Ana Carolina Garcia

Graduação em Nutrição - USP, especialista em Nutrição Aplicada ao Exercício Físico pela Escola de EEFE - USP e especialista em Nutrição Humana Aplicada e Terapia Nutricional pelo IMeN. Nutricionista da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Antonio Herbert Lancha Jr.

Graduação em Educação Física – USP Especialização em Fisiologia do Exercício – UNESP Mestrado e Doutorado em Nutrição Experimental – USP Pós- Doutorado em Medicina Interna – Washington University Professor Titular de Nutrição Aplicada à Atividade Física – USP Coordenador do Grupo de Nutrição do Vita Diretor da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Camila Freitas

Graduação em Nutrição - USP

Pós-Graduação em Gastronomia

Responsável pela área de nutrição das academias Reebok (SP)

Nutricionista da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Carla di Pierro

Graduação em Psicologia - PUC SP

Especialização em Psicologia do Esporte - Instituto Sedes Sapientiae

Especialização em Clínica Analítico Comportamental - Núcleo Paradigma

Aprimoramento em Terapia Comportamental Cognitiva - Amban HCFMUSP

Psicóloga da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Desire F. Coelho

Graduação em Nutrição - Centro Universitário São Camilo

Graduação em Esporte - USP

Mestrado em Educação Física - USP

Doutoranda pelo Instituto de Ciências Biomédicas - USP

Aprimorando em Transtorno Alimentar pelo AMBULIM HC-FMUSP

Nutricionista da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Luciana O. P. Lancha

Graduação em Nutrição e Esporte – USP Mestrado em Bioquímica – UNICAMP Doutorado em Ciências Biomédicas - USP Nutricionista da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Luiz Augusto Riani Costa

Graduação em Medicina – UNICAMP

Pós-graduação em Medicina Esportiva e Fisiologia do Exercício – USP

Doutorando em Fisiopatologia – EEFE/HCFMUSP

Diretor Clínico do setor de Cardiologia dos Laboratórios

Diagnósticos da América (DASA)

Fisiologista do Vita

Médico da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Marco D. Leme

Graduação em Nutrição - Centro Universitário São Camilo

Graduação em Eng. de Alimentos - Instituto Mauá de Tecnologia

Nutricionista do Grupo de DOR - IOT HCFMUSP e da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Patrícia Campos-Ferraz

Graduação em Nutrição – USP

Mestrado em Ciências dos Alimentos – USP

Doutorado em Biologia Funcional e Molecular pela UNICAMP

Nutricionista da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Renata C. Sardinha

Graduação em Nutrição - Centro Universitário São Camilo. Nutricionista do Bio Menu Congelados Saudáveis


Rodrigo Ferraz

Graduação em Educação Física - USP

Especialização em Treinamento Desportivo - UNIFESP/EPM

Especialista em Prevenção de Lesão e Treinamento em Pacientes Oncológicos

Preparador Físico da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida