Bio Menu

Busca

Sobre o blog

Alimentar-se representa muito mais que apenas ingerir carboidratos, lipídios, proteinas, vitaminas e minerais. Significa relação social, afinal as pessoas comemoram, prazer, indulgencia etc. Neste Blog temos por objetivo discutir todas as faces dos nutrientes e como podemos estabelecer uma ingestão alimentar saudável sem abrir mão do prazer. Com isso pretendemos propor a você pequenas mudanças que farão diferenças importantes na sua vida, venha conosco.

Categorias

Histórico

22/07/2010

Sem pressa de ser feliz!

A correria do dia-a-dia nos mantém acelerados, ligados nos mais novos acontecimentos, produzindo, trabalhando, pensando…E hábitos fundamentais para a sobrevivência e saúde, tornam-se tarefas com datas e horários a serem cumpridos numa agenda apertada e dividida com outras “obrigações”.

Este tem sido o caso das férias e do descanso, do sono, das relações sócio-afetivas, da atividade física, e por incrível que pareça: da alimentação.

Cada vez menos temos tempo para nos alimentar sem pressa e com prazer!! E de uma maneira geral , cada vez menos buscamos tempo para sentir prazer e cada vez mais nos comportamos buscando nos proteger de frustração, dor e decepção. Assim, trabalhamos para pagar as contas , dormimos para estarmos alertas no dia seguinte, nos exercitamos para não engordar ou sofrer uma parada cardíaca e comemos… porque temos que comer.

O Slow food por exemplo é um movimento que inclui valorizar a culinária tradicional e preservar sabores ameaçados, despertando e treinando nossos sentidos, ajudando na redescoberta do prazer de saborear um alimento.O princípio básico do movimento é o direito ao prazer da alimentação. O que parecia óbvio agora precisa de um movimento.

Não é raro atualmente, comer em frente á tv, ao computador, comer trabalhando, em pé, engolir a comida e cada vez mais instalar maus hábitos que se perpetuam, muitas vezes em função de não perder tempo.

Ele, o tempo, virou nosso inimigo, parece estar sempre correndo contra, mas depende quase que exclusivamente do nosso ponto de vista e do contexto de onde estamos olhando pra ele.

A vida atual, infelizmente é um contexto que apenas nos ensina a ser produtivos e a otimizar o tempo. Assim a cozinha rápida é preferida, e cada vez menos os famliares se encontram a mesa na hora do cafe da manhã , almoço ou jantar.

Não temos tempo, tempo pra sorrir, pra brincar, pra se divertir, pra sentir prazer, pra ouvir uma boa música, olhar para uma linda paisagem.

Neste ritmo dificilmente conseguimos ensinar diferente às nossas crianças, que já dormem mal, tem agendas lotadas e não sentem o prazer de sentar e comer , porque não tem mais tempo pra nada, nem pra brincar. Assim perpetuamos o mesmo ciclo.

Quem sabe já é tempo de repensar tudo isso!!

 

Carla Di Pierro CRP 65399

Psicóloga da Nutriaid

 

Por Marco D. Leme às 08h42

18/07/2010

Exercício Físico e Controle do Apetite: aumenta fome para uns, diminui a fome para outros.

Como escrito no texto do Rodrigo Ferraz, em fins de Junho aconteceu na Turquia a 15ª Edição do Congresso Europeu de Ciência do Esporte. Grandes nomes da área estiveram presentes. Destaco aqui uma das sessões plenárias apresentadas pelo Professor J. Blundell do Instituto de Ciências Psicológicas da Universidade de Leeds (Inglaterra), onde ele expôs a variabilidade do papel do exercício no controle do apetite.

Segundo ele, ao observar o comportamento de indivíduos que ganham massa muscular e comparar com aqueles que perdem gordura ao praticar exercício regular, ele sugere 2 hipóteses para explicar o fato:

1)      Exercício aumenta a fome e desejo de comer ou

2)      Exercício aumenta a saciedade

O equilíbrio entre esses dois fatores ajudaria a determinar se esses indivíduos têm tendência a aumentar a ingestão de alimentos ou a resistir ao desejo de comer mais, criado pelo déficit de energia. Algumas pessoas têm mais fome quando aumentam seu gasto energético, e isso faz com que elas comam mais,  favorecendo o ganho de massa muscular com o exercício. Já outras ficam mais saciadas e perdem gordura.

Os indivíduos que reagem ao exercício crônico aumentando a ingestão calórica também apresentam um aumento no “gostar” de todos os alimentos, assim como uma vontade crescente de consumir alimentos doces e com elevada densidade calórica. Mas isto não é motivo para desespero.

A preferência inconsciente por alimentos mais calóricos é boa para o ganho de massa muscular, pois ele ocorre com um aporte maior de carboidratos e proteínas, e talvez por isso o cérebro possa estimular o aumento do consumo desses alimentos.

Muitas pessoas quando começam a treinar veem seu peso aumentar ou não diminuir logo de cara. Mas isso não é um aspecto negativo, já que ganho de massa muscular é benéfico por que aumenta também a necessidade de energia. No fim das contas, mesmo ganhando peso em forma de músculos, a pessoa perde gordura percentualmente e altera a composição corporal de maneira benéfica. Essas pessoas não vão ganhar músculo indefinidamente, a partir de determinado momento, elas param de ganhar músculos e começam a perder gordura.


Mensagem final: conte com a ajuda de um profissional para balancear seu consumo calórico ao fazer exercícios com o intuito de perder gordura. Assim você consegue suprir sua demanda energética e ter resultados palpáveis.


Para saber mais:

15. Annual Congress of the European College of Sports Science – Antalya – Turkey

Book Of Abstracts

http://www.ecss-congress.eu/2010/index.php?option=com_wrapper&Itemid=52

Por Patrícia L. C. Ferraz às 22h30

Ir para UOL Ciência e Saúde

Sobre os autores

Ana Carolina Garcia

Graduação em Nutrição - USP, especialista em Nutrição Aplicada ao Exercício Físico pela Escola de EEFE - USP e especialista em Nutrição Humana Aplicada e Terapia Nutricional pelo IMeN. Nutricionista da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Antonio Herbert Lancha Jr.

Graduação em Educação Física – USP Especialização em Fisiologia do Exercício – UNESP Mestrado e Doutorado em Nutrição Experimental – USP Pós- Doutorado em Medicina Interna – Washington University Professor Titular de Nutrição Aplicada à Atividade Física – USP Coordenador do Grupo de Nutrição do Vita Diretor da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Camila Freitas

Graduação em Nutrição - USP

Pós-Graduação em Gastronomia

Responsável pela área de nutrição das academias Reebok (SP)

Nutricionista da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Carla di Pierro

Graduação em Psicologia - PUC SP

Especialização em Psicologia do Esporte - Instituto Sedes Sapientiae

Especialização em Clínica Analítico Comportamental - Núcleo Paradigma

Aprimoramento em Terapia Comportamental Cognitiva - Amban HCFMUSP

Psicóloga da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Desire F. Coelho

Graduação em Nutrição - Centro Universitário São Camilo

Graduação em Esporte - USP

Mestrado em Educação Física - USP

Doutoranda pelo Instituto de Ciências Biomédicas - USP

Aprimorando em Transtorno Alimentar pelo AMBULIM HC-FMUSP

Nutricionista da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Luciana O. P. Lancha

Graduação em Nutrição e Esporte – USP Mestrado em Bioquímica – UNICAMP Doutorado em Ciências Biomédicas - USP Nutricionista da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Luiz Augusto Riani Costa

Graduação em Medicina – UNICAMP

Pós-graduação em Medicina Esportiva e Fisiologia do Exercício – USP

Doutorando em Fisiopatologia – EEFE/HCFMUSP

Diretor Clínico do setor de Cardiologia dos Laboratórios

Diagnósticos da América (DASA)

Fisiologista do Vita

Médico da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Marco D. Leme

Graduação em Nutrição - Centro Universitário São Camilo

Graduação em Eng. de Alimentos - Instituto Mauá de Tecnologia

Nutricionista do Grupo de DOR - IOT HCFMUSP e da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Patrícia Campos-Ferraz

Graduação em Nutrição – USP

Mestrado em Ciências dos Alimentos – USP

Doutorado em Biologia Funcional e Molecular pela UNICAMP

Nutricionista da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Renata C. Sardinha

Graduação em Nutrição - Centro Universitário São Camilo. Nutricionista do Bio Menu Congelados Saudáveis


Rodrigo Ferraz

Graduação em Educação Física - USP

Especialização em Treinamento Desportivo - UNIFESP/EPM

Especialista em Prevenção de Lesão e Treinamento em Pacientes Oncológicos

Preparador Físico da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida