Bio Menu

Busca

Sobre o blog

Alimentar-se representa muito mais que apenas ingerir carboidratos, lipídios, proteinas, vitaminas e minerais. Significa relação social, afinal as pessoas comemoram, prazer, indulgencia etc. Neste Blog temos por objetivo discutir todas as faces dos nutrientes e como podemos estabelecer uma ingestão alimentar saudável sem abrir mão do prazer. Com isso pretendemos propor a você pequenas mudanças que farão diferenças importantes na sua vida, venha conosco.

Categorias

Histórico

08/07/2010

Os riscos da “barriga de chope”

Mais importante do que controlar o peso corporal é acompanhar a circunferência abdominal


Essa medida, definida pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como o ponto médio entre a última costela e a crista do osso ilíaco, ou, para simplificar, a menor circunferência da região abdominal (equivalente à cintura) tem relação direta com o aumento das chances de desenvolver pré-diabetes, aumento de triglicérides e colesterol e pressão alta.

Circunferência abdominal

Risco aumentado

Risco muito aumentado

Homens

³        94 cm

³        102 cm

Mulheres

³        80 cm

³        88 cm

 

Uma das justificativas que fazem do tecido adiposo tão prejudicial à saúde é fato de ser um órgão dinâmico que secreta várias substâncias denominadas ADIPOCINAS. Estas adipocinas, em sua grande maioria, estão relacionadas, direta ou indiretamente, a processos que contribuem com a aterosclerose, hipertensão arterial, dislipidemias, resistência à insulina e diabetes, representando o elo entre a adiposidade, síndrome metabólica e doenças cardiovasculares.

Dentre as adipocinas, destacam-se o fator de necrose tumoral-a (TNF-a), interleucina-6 e 10, inibidor de plasmiogênio ativado -1 (PAI-1), proteína C reativa (PCR), resistina, proteína estimulante de acilação (ASP) e fatores envolvidos no sistema renina-angiotensina.

Particularmente na região abdominal existem 2 tipos de gordura que são metabolicamente diferentes: a gordura subcutânea, palpável ao beliscarmos o abdômen e a visceral ou omental, localizada entre as vísceras, abaixo da musculatura abdominal, a conhecida “barriga de chope”.

O tecido adiposo visceral é o que secreta maior concentração de adipocinas, seguido do tecido adiposo subcutâneo abdominal e do tecido subcutâneo glúteo-femural, o que explica a importância de manter a circunferência abdominal dentro dos parâmetros determinados pela OMS.

Por outro lado, a gordura omental é mais sensível a queima de gordura quando comparada à gordura subcutânea abdominal e glúteo-femoral, ou seja, a prática de atividade física, especialmente a intermitente, associada ao ajuste da alimentação reduz a circunferência abdominal de forma rápida e eficaz.

Como temos exaustivamente comentado neste blog, para manter a saúde sob controle não há milagres: pratique atividade física e mantenha uma alimentação equilibrada!

Para saber mais:

HERMSDORFF, H.H.M. & MONTEIRO, B.R. Gordura visceral, subcutânea ou intramuscular: onde está o problema? Arquivo Brasileiro de Endocrinologia e Metabologia; v. 48/6, p. 803-811, 2004. 

Por Camila Freitas às 13h34

05/07/2010

Minhas Dores

Quando temos algum tipo de dor, muitas vezes tentamos procurar o porque esse incomodo surgiu. Pensamos em várias as possibilidades: postura inadequada, poucas horas de sono, excesso de atividade física, movimento mal executado, excesso de peso, alguma patologia, etc... Porém é raro relacionar a dor com a alimentação.

Muitos já notaram que um ou outro alimento pode ocasionar uma dor de barriga ou até mesmo de cabeça. Mas não é fácil aceitar que um delicioso chocolate ou até mesmo aquele cafezinho depois do almoço pode estar sendo a causa da nossa dor. A dor pode ser causada por inúmeros fatores, porém alguns estudos mostram que uma alimentação equilibrada, isenta de certas substâncias e contendo nutrientes específicos, pode evitar ou diminuir os seus sintomas.

Uma alimentação equilibrada é responsável por fornecer nutrientes suficientes, que podem influenciar sistemas fisiológicos da mesma maneira que alguns fármacos. Um exemplo é o resveratrol, um composto de polifenol encontrado nas uvas, amendoim e outros alimentos, que possui atividade anti-inflamatória e anti-oxidante. Existem inúmeros nutrientes que podem auxiliar no tratamento ou prevenir a dor.

Quanto estamos com dor crônica, alguns pesquisadores acreditam que nossas necessidades protéicas ficam aumentadas em até 20%, fazendo com que indivíduos com baixa ingestão desse nutriente, necessitem de mais atenção na hora de montar seu prato. Sendo a proteína um nutriente que não fazemos reserva, uma alimentação mal planejada pode acarretar em diminuição de massa muscular, podendo ser causa ou aumentar a dor já existente. Vale lembrar que a ingestão de proteínas isoladamente, sem carboidratos, não trás os mesmos benefícios, pois muitas vezes acabam por fornecer energia, não exercendo as funções desejadas.

Para que possamos entender como a rotina alimentar de uma pessoa possa estar ou não interferindo na sua dor, é necessário que um diário/ registro alimentar de 7 dias seja preenchido, referindo todos os momentos em que a dor está ou não presente, lembrando de anotar a sua intensidade.  

Portanto se você conhece alguém com uma dor “intratável”, a sugestão é: procure uma equipe multiprofissional para que todas as possibilidades da causa dessa patologia sejam estudadas.

Abraços,

 

Marco   

Por Marco D. Leme às 13h28

Ir para UOL Ciência e Saúde

Sobre os autores

Ana Carolina Garcia

Graduação em Nutrição - USP, especialista em Nutrição Aplicada ao Exercício Físico pela Escola de EEFE - USP e especialista em Nutrição Humana Aplicada e Terapia Nutricional pelo IMeN. Nutricionista da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Antonio Herbert Lancha Jr.

Graduação em Educação Física – USP Especialização em Fisiologia do Exercício – UNESP Mestrado e Doutorado em Nutrição Experimental – USP Pós- Doutorado em Medicina Interna – Washington University Professor Titular de Nutrição Aplicada à Atividade Física – USP Coordenador do Grupo de Nutrição do Vita Diretor da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Camila Freitas

Graduação em Nutrição - USP

Pós-Graduação em Gastronomia

Responsável pela área de nutrição das academias Reebok (SP)

Nutricionista da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Carla di Pierro

Graduação em Psicologia - PUC SP

Especialização em Psicologia do Esporte - Instituto Sedes Sapientiae

Especialização em Clínica Analítico Comportamental - Núcleo Paradigma

Aprimoramento em Terapia Comportamental Cognitiva - Amban HCFMUSP

Psicóloga da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Desire F. Coelho

Graduação em Nutrição - Centro Universitário São Camilo

Graduação em Esporte - USP

Mestrado em Educação Física - USP

Doutoranda pelo Instituto de Ciências Biomédicas - USP

Aprimorando em Transtorno Alimentar pelo AMBULIM HC-FMUSP

Nutricionista da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Luciana O. P. Lancha

Graduação em Nutrição e Esporte – USP Mestrado em Bioquímica – UNICAMP Doutorado em Ciências Biomédicas - USP Nutricionista da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Luiz Augusto Riani Costa

Graduação em Medicina – UNICAMP

Pós-graduação em Medicina Esportiva e Fisiologia do Exercício – USP

Doutorando em Fisiopatologia – EEFE/HCFMUSP

Diretor Clínico do setor de Cardiologia dos Laboratórios

Diagnósticos da América (DASA)

Fisiologista do Vita

Médico da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Marco D. Leme

Graduação em Nutrição - Centro Universitário São Camilo

Graduação em Eng. de Alimentos - Instituto Mauá de Tecnologia

Nutricionista do Grupo de DOR - IOT HCFMUSP e da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Patrícia Campos-Ferraz

Graduação em Nutrição – USP

Mestrado em Ciências dos Alimentos – USP

Doutorado em Biologia Funcional e Molecular pela UNICAMP

Nutricionista da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida


Renata C. Sardinha

Graduação em Nutrição - Centro Universitário São Camilo. Nutricionista do Bio Menu Congelados Saudáveis


Rodrigo Ferraz

Graduação em Educação Física - USP

Especialização em Treinamento Desportivo - UNIFESP/EPM

Especialista em Prevenção de Lesão e Treinamento em Pacientes Oncológicos

Preparador Físico da Nutriaid Consultoria em Qualidade de Vida